Cultura

Actores e bailarinos em formação no Lobito

Actores de teatro e bailarinos participam de segunda a sexta-feira na cidade do Lobito, província de Benguela, numa formação que contempla o domínio das artes de encenação e expressão corporal em palco, sob a égide do colectivo de artes Ndinga Nzola.

A informação foi avançada à Angop, pelo encenador daquele colectivo de teatro, Francisco Eduardo, que na altura referiu-se à formação como o meio de transmitir  e aprimorar aos participantes as capacidades expressivas do corpo, desde a voz ao movimento em palco.
Francisco Eduardo deu a conhecer que, além dos processos criativos e interpretativos, o curso visa capacitar os actores e bailarinos na coreografia, nomeadamente no ballet, danças de rua (hip hop) e contemporânea.
O dramaturgo espera que a formação desenvolva aos actores de teatro que estão a participar qualidades criativas que possam vir a  aplicar na construção da personagem.
“Pretendemos que os actores em palco encarnem melhor a personagem que representam, aproximando-se o mais realisticamente possível da história”, frisou.
Participam na formação, orientados por seis formadores do projecto do Fer’Arte, mais de duas dezenas de actores, de grupos de teatro de Benguela e do Lobito.
Com um elenco composto por dez membros, sendo seis actores e quatro actrizes, o colectivo de artes Ndinga Nzola, expressão
em língua nacional kikongo que significa em português “Vozes do Amor”, já apresentou várias peças desde a sua criação, em 2012, com destaque para “Vozes de África”, “Pânico no Cemitério”, “Teatro em Luto”, “Noite de Núpcias” e “A Noiva e o Fantasma”.