Cultura

Artista cria escultura colossal em Londres

A escultura monumental “The Fortress” (A Fortaleza), do artista angolano Kiluanji kia Henda, foi seleccionada, entre as mais de 100 propostas de 21 nacionalidades africanas, apresentadas na Somerset House, em Londres, de 3 a 6 deste mês.

“The Fortress” integra a colecção de arte “A City Called Mirage”, de 2009-2017, que inclui fotografias e serigrafias de esculturas feitas no deserto de Al Zaraq, na Jordânia, e em Maleha, em Sharjah. A maioria das esculturas, feitas em metal, relembra paisagens de uma cidade imaginária.
O artista angolano baseou a escultura nos típicos desenhos de areia da cultura lunda cokwe, numa tentativa de, assim como os contadores de histórias, narrar parte do modo de vida dos habitantes do Leste de Angola.
Diferente dos desenhos cokwe, as criações de Kiluanji kia Henda traçam histórias virtuais futuras desconectadas do passado, recriadas por meio de objectos tridimensionais.Após a exposição em Londres, a escultura é exibida na Tunísia, no âmbito de uma colecção da Fundação tunisina Kamel Lazaar, que patrocina, todos os anos, o prémio de escultura monumental para espaços públicos.
Nascido em 1979, Kiluanji kia Henda vive e trabalha entre Luanda e Lisboa. Artista autodidacta, cresceu num meio habitado por entusiastas da fotografia, que o inspiraram a criar a própria arte. Mais tarde, começou a apostar noutros formatos de arte, como a música e o teatro experimental. Actualmente, tem explorado, por meio da fotografia, vídeo, performance e escultura, temas como a história e a memória colonial, o modernismo em África e as relações Europa-África, de forma humorística e irónica, desafiando noções de identidade, políticas e as percepções. Em 2017, ganhou o prémio Frieze Artist Award.