Cultura

Banda Jovens do Prenda actua no “Show do Mês”

A banda Jovens do Prenda celebra, este sábado, o 52º aniversário, com a realização de um espectáculo especial, às 15h00, no Complexo Paz-Flor, em Luanda, em mais uma edição do projecto “Show do Mês Live”, com transmissão em directo no canal 2 e Internacional, da TPA.

O projecto, uma iniciativa da Nova Energia, que teve como destaque da última edição a Banda FM, tem transmissão, também, na página do Facebook, do Show do Mês, e no programa radiofónico “Viajem ao Passado”, da Rádio Luanda.
Meses depois da última participação no projecto, os Jovens do Prenda regressam ao Show do Mês e tem estado a ensaiar na Brasom. Até ao momento, a banda não revelou o nome dos convidados. Porém, o guião inclui grandes sucessos, como “Manhã de Domingo”, “Kandima”, “Samba Samba”, “Nova Cooperação”, “Nguende Ni Ubeka” e “Makamé”.

A produtora Nova Energia explicou que tem a agenda de espectáculos do mês já preenchida, com o “Show Piô Live” marcado para o próximo dia 31.
A actual formação da banda tem como fundador Didi da Mamã Preta(dikanza) e são liderados por António Imperial Baião (guitarrista e director artístico), Augusto Chacayá, Tony do Fumo Filho, Dom Caetano e Miau (vocalistas), Zé Mueleputo (solo), Zé Luís (ritmo e solo), Benjamim (baixo), João Daloba (bateria), Esteves Bento (tambores), Eurico Sandombe (teclados), Mambuya Samuel (trombone), Gabriel Mumpambala (trompete) e Sansão Elamba (saxofone).

A Orquestra Os Jovens do Prenda é, depois dos Kiezos, a segunda formação musical mais antiga em actividade, criada em Outubro de 1968, por Zé Keno, Chico Montenegro, Toni do Fumo, Verry Inácio, Zé Gama, Luís Neto e Didi da Mãe Preta.
A banda começou a dar os primeiros passos em 1964, com os Jovens do Catambor que mais tarde juntou-se aos Jovens da Maianga e passaram a ser, em 1968, os Jovens do Prenda, por sugestão de Manguxi, dono do Salão Braguês, no Sambizanga.

Com vários singles lançados antes da Independência, a banda fez o suporte instrumental de vários músicos. Tem no mercado os discos “Música de Angola, Jovens do Prenda” (1982), “Samba-Samba” (1992), “Kudicola Kwetu” (2003) e “Iweza” (2010).
Nos últimos dois anos, a banda perdeu dois dos membros-fundadores e dos mais emblemáticos, Zé Keno e Chico Montenegro. Actualmente figuras históricas como Didi da Mãe Preta, António Imperial “Baião” e Augusto Chacaya têm apostado na partilha de experiência com a nova geração.