Cultura

Fotógrafo Luís Damião na Bienal de Bamako

Luís Damião representa Angola na 12ª edição da Bienal Africana de Fotografia, que se realiza de hoje a 31 de Janeiro de 2020, na cidade de Bamako, capital do Mali.

Denominado “Reencontros de Bamako”, o evento contará com a presença de artistas e fotógrafos de mais de 50 países do continente africano, disse, quinta-feira, à Angop o fotógrafo, no Aeroporto Internacional 4 Fevereiro, antes do embarque a Bamako.
Luís Damião explicou que vai à Bienal de Bamako a convite da organização, com uma obra denominada “Mohamed Aqui”, que o referido tema reflecte a capacidade dos angolanos em ultrapassar os momentos difíceis do conflito armado de cerca de 30 anos, os vários processos para a paz (alcançada em 2002) e o actual momento do país.
“Pretendo com esta obra artística mostrar ao mundo a pujança do cidadão angolano, no geral, em saber ultrapassar os maus momentos que a nação viveu”, enfatizou.
Sob direcção artística do camaronês Bonaventure Soh Bejeng Ndikung, a bienal tem como tema central “Streams of consciousness” (corrente de consciência), referindo uma letra do músico sul-africano Abdullah Ibrahim.
“Reencontros de Bamako” é dos eventos mais importantes do continente, dedicado à criação contemporânea, e uma notável plataforma de visibilidade para os fotógrafos e videastas da África e diáspora.
Nascido em Luanda, em 1978, numa família com fortes raízes artísticas, Luís Damião, desde cedo, entrou no mundo das artes, como autodidacta, inspirando-se no pai, o fotojornalista Paulino Damião “Kota 50”.
É irmão do artista plástico Lino Damião, tendo-se apresentado publicamente, em 2002, pela primeira vez, com o projecto cultural colecttivo “Art & Moda”, no Espaço Cultural Elinga.