Cultura

Sucessos de Bonga regressam aos palcos

Bonga é a figura de cartaz das últimas edições deste ano dos projectos “Show do Mês”, que acontece este sábado, às 21h00, no Centro de Conferência de Belas, e Muzonguê da Tradição, a ter lugar no domingo, a partir das 12h00, no Centro Recreativo e Cultural Kilamba, em Luanda.

Nos dois espectáculos, Bonga vai fazer uma viagem pelos seus principais sucessos de carreira, entre os quais se destaca “Balumuka”,“Kamakove”, “Frutas de Vontade”, “Homem do Saco”, “Mulemba Xangola” “Kisselenguenha”, “Roça de Jindungo”, “Kambwá”, “Olhos Molhados” e “Kahombo é que Pica”.
O espectáculo de sábado, que encerra a sexta edição do “Show do Mês”, é resultante de dois anos de negociações. Pela segunda vez, este ano, fora do Royal Plaza, o palco habitual usado pela Nova Energia para o show, a presença de Bonga aumentou a procura pelos ingressos.
No domingo, o músico volta a cantar, mas no 18º aniversário do Muzonguê da Tradição, palco em que actuou pela última vez em Novembro do ano passado. Considerada como o “super muzonguê”, esta edição conta, ainda, com a participação de Massano Júnior, Lulas da Paixão, Jivago e Banda Maravilha.
Natural de Porto Kipiri, Bengo, Barceló de Carvalho começou a dar os seus primeiros passos na Turma dos Kissueia, com Zeca do Marçal e Carlos Lamartine. Além da música iniciou, também, uma carreira no atletismo, no Clube Atlético, que o levou para Portugal, como profissional, onde bateu recordes e conquistou títulos pelo Benfica.
Anos depois, foi para a Holanda e decidiu dedicar-se, por completo, à música. Em certos pontos, o percurso artístico do cantor coincidiu com os principais processos históricos de Angola, alguns dos quais descritos nas letras das músicas, como o anseio pela liberdade, a alegria dos primeiros anos da independência, a desilusão com o rumo do país e a esperança num futuro melhor. 
Com vários discos gravados ao longo da sua carreira, o cantor fez estreia com “Angola 72”. O último CD, de 2017, é “Recados de Fora”. Além destes, muitos outros foram lançados, como “Angola 74”, “Raízes, “Kandandu”, “Marika”, “Sentimento”, “Massemba”, “Reflexão”, “Malembe Malembe”, “Gerações”, “Mutamba”, “Fogo na Kanjica”, “Preto no Branco”, “Dendém de Açúcar”, “Kaxexe”, “Paz em Angola”, “Katendu”, “Maiorais”, “Bairro” e “Hora Kota”.
O cantor tem vários prémios nacionais e internacionais, sendo o maior de todos a Medalha de Bravura e de Mérito Cívico Social, entregue no ano passado pelo Presidente da República, João Lourenço.