Desporto

Angola projecta partida frente à Noruega quinta-feira

Moralizadas com a vitória inédita na 24ª edição do Campeonato do Mundo sénior feminino de andebol, a Selecção Nacional projecta hoje, na quadra do Pavilhão Aqua Dome, Kumamoto, o desafio frente à similar da Noruega (vice-campeã), quinta-feira às 12h30.

Ontem, diante da Eslovénia, apesar de uma entrada pouco auspiciosa, nove minutos foi o tempo necessário para as Pérolas desenharem o triunfo, por 33-24, em partida referente à terceira jornada do Grupo A.
O primeiro golo das campeãs africanas foi marcado aos quatro minutos. Passados três minutos ambas estavam empatadas a sete tentos.
O primeiro tento das campeãs africanas surgiu no minuto quatro, no sete, de forma irreverente igualaram a sete golos.
Dois minutos depois, o combinado angolano passou a liderar o marcador (5-4). A defenderem no 4-2, com Janeth Santos e Wuta Dombaxi a pressionarem as atacantes, registou-se melhorias no sector defensivo.
A central Isabel Guialo “Belinha” e a pivô Albertina Kassoma assumiram as funções ofensivas, com o apoio da lateral Magda Cazanga. Quando não marcava, Belinha assistia Kassoma, que em vários movimentos, em rotação visava a baliza defendida por Branka Zec.
Para travar o ímpeto ofensivo das comandadas de Morten Soubak, o técnico Uros Bregar solicitou o primeiro desconto de tempo, mas sem o efeito desejado, pois o “sete” nacional manteve a mesma postura e saiu a vencer (16-12), ao intervalo.
Na segunda parte, a entrada da lateral direita Aznaide Carlos deu outro impulso a primeira linha, onde Isabel Guialo e Helena Paulo já faziam furor. Com remates em suspensão, as três jogadoras foram determinantes na luta pela vitória, sem darem grandes hipóteses para as defensoras eslovenas.
Apesar da ponta Juliana Machado falhar um contra-ataque, seguido de um erro técnico da selecção, o grupo manteve-se concentrado, para desalento do conjunto da Europa do Leste. Jogados 40 minutos, Angola já vencia 24-17.
Por mais que se esforçassem, as europeias tiveram dificuldades em visar a baliza defendida por Helena Sousa. A jovem atleta do 1º de Agosto apresentou-se como uma muralha quase intransponível. Aos 48 minutos, as Pérolas ampliaram a vantagem para dez golos, 28-18, e foram eficazes até ao apito final.
Com seis golos, Albertina Kassoma foi eleita a melhor em campo. Aznaide Carlos, igual número de tentos, Isabel Guialo (5), Helena Paulo e Magda Cazanga (4) também destacaram-se. A central eslovena Tjasa Stanko, marcou nove, à frente das laterais Ana Gros e Polona Boric cada uma com cinco.
Em 60 ataques, Angola marcou 33 golos, 55 por cento de eficácia, contra 60/24 da Eslovénia, 40 por cento de aproveitamento. Na linha dos sete metros, as Pérolas facturaram três dos quatro tentados, 75 por cento de eficiência, contra 2/2 das adversárias, cem por cento de eficácia. As pupilas de Soubak somaram 11 erros técnicos, menos dois em relação as comandadas de Bregar.