Desporto

Campeões do Mundo recebidos em euforia

A Selecção Nacional de futebol para amputados foi recebida com euforia à sua chegada, ontem, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, por algumas dezenas de pessoas, depois da conquista do título inédito no Campeonato do Mundo, disputado na cidade de Guadalaraja (México).

Na parte exterior do aeroporto, os campeões mundiais, em número de 12, foram surpreendidos com a calorosa recepção preparada pelo Ministério da Juventude e Desportos e o Comité Paralímpico Angolano (CPA). À saída da sala do protocolo de Estado, atletas, treinadores e membros da delegação angolana emocionaram-se, porque não esperavam pela multidão perfilada no local, com realce para a presença da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto.
O cenário montado fez com que o “capitão” da Selecção Nacional, Hilário Kufula, derramasse algumas lágrimas, porque era a melhor forma de agradecer o carinho e o calor prestado pela população. Hilário Kufula liderava o grupo, empunhando o troféu mundial nos braços.
As pessoas exibiam cartazes com palavras “Muito obrigado campeões”, “Angola agradece o feito inédito”, ao som da música proveniente do carro alegórico, com o título do álbum “País Novo”, de Matias Damásio. “Vou contar-vos a história de um povo que tem tudo para sorrir” ... “Agora sem guerra ... Angolaaa do meu coração.”
“Esta canção emocionou-me. Não estava à espera deste ambiente. Muito obrigado por tudo. Este título também é vosso”, desabafou ao Jornal de Angola Hilário Kufula.
Depois das boas vindas, os integrantes da equipa nacional dirigiram-se para a “carripana” posta no local, para os transportar. Pintado com as cores da bandeira nacional, o camião de 6,3 metros de comprimento fez o percurso em 20 minutos, do aeroporto ao Complexo da Cidadela Desportiva, escoltado por batedores da Polícia Nacional.
Ao longo da via pública, com passagem pela Ho Chi Minh, José Pirão e Hoje-ya-Henda, os automobilistas, motociclistas e transeuntes pararam para felicitar os jogadores e treinadores.
À semelhança do aeroporto, as condições estavam igualmente criadas na Cidadela Desportiva, para a homenagem que se impunha aos jogadores e à equipa técnica. A Selecção Nacional também foi muito acarinhada. Ninguém quis perder a oportunidade de receber autógrafos e fazer “selfies” com os campeões mundiais.

Prémios extras
Para a recepção da delegação esteve a ministra da Acção Social Família e Promoção da Mulher, Vitória da Conceição, ladeada pelo secretário de Estado dos Desportos, Carlos Almeida, e pela vice-governadora de Luanda, Paula Correia Victor.
Antes do pequeno almoço oferecido no local à equipa angolana, foram várias as mensagens de felicitações, destacando-se as do Exército, do Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher e do Fundo Lwini. Pedro Godinho, presidente da Federação Angolana de Andebol foi o mestre cerimónia da actividade de homenagem aos atletas e corpo técnico.
Pelo feito conseguido, a Fundação Sol ofereceu cinco milhões de kwanzas à Selecção Nacional. O Exército também se associou à conquista do Campeonato do Mundo, ao entregar sacolas a cada um dos atletas, contendo camisolas e chapéus.