Desporto

Ciclismo: Jair Guerreiro passa testemunho aos jovens

O presidente cessante, e membro da Comissão de Gestão da Associação Provincial de Ciclismo de Luanda (APCIL), Jair Guerreiro, não vai recandidatar-se nas eleições para o quadriénio 2020/24, marcadas para Abril, mas adiadas devido ao Estado de Emergência decretado em função da pandemia da Covid-19 .

Jair Guerreiro disse que vai dar oportunidade aos mais jovens, prosseguirem os projectos deixados pela direcção cessante. “Foram dois mandatos realizados com sucesso e vamos dar oportunidade aos jovens, que sempre estiveram ao nosso lado e têm demonstrado competências, de continuarem o legado”,frisou.

O dirigente disse que vai dedicar-se à outra licenciatura e defender o mestrado, mas continuará ligado à modalidade. Jair Guerreiro fez avaliação positiva dos mandatos, considerando que houve evolução da modalidade nos últimos oito anos à frente da Associação. “Nos dois mandatos massificamos a modalidade, e hoje temos muitos ciclistas em Luanda”, disse.

“Além da quantidade, a qualidade dos atletas também melhorou e tivemos uma boa participação na volta a Portugal, a equipa do BAI-Sicasal Petro de Luanda disputou vários “tours” em África, com convites feitos via União Internacional dos Ciclistas (UCI), o que é um grande ganho”,acrescentou o dirigente.

Jair Guerreiro espera mais apoio da Federação Angolana de Ciclismo. “Os apoios que gostaríamos de receber seriam no apetrechamento da APCIL em meios, e que a Federação tivesse mantido o sistema de cronometragem da primeira volta experimental a Angola. Hoje, vimos que foi uma má compra”,esclareceu.

Os apoios institucionais da Polícia Nacional, Instituto Nacional de Emergências Medicas e das empresas XXL, ORPED e a Sinang foram importantes, de acordo com o dirigente. Actualmente, a Associação é gerida por uma comissão, liderada por Joseph Nicolay (coordenador), Machado Bebiano (coordenador-adjunto),Eleutério Gomes(secretário) e inclui José Crispim, Jair Guerreiro Welwitschia Lopes.