Desporto

Desportivo moralizado para contrariar e ganhar

Contrariar ao máximo o adversário e conquistar pela primeira vez, na história do clube, o troféu são as pretensões da direcção, equipa técnica e jogadores do Desportivo da Huíla, hoje, às 16h00, na final da Taça de Angola, diante do 1º de Agosto.

Mário Soares disse, ontem ao Jornal de Angola, que as finais são para serem ganhas e não apenas jogadas. “Reconhecemos o favoritismo do todo-poderoso 1º de Agosto, um dos papões do nosso futebol, mas temos os nossos argumentos e nossas competências. Se estamos na final, é por mérito próprio e temos que valorizá-la, replicando ao máximo as intenções do adversário”.
Para o jogo de hoje, salientou, os jogadores vão dar réplica e fazer com que o resultado seja a favor do Desportivo da Huíla.
“Estamos a ver de forma minuciosa o 1º de Agosto como tem trabalhado, agora com uma inovação, onde há dois atletas que começam a fazer a diferença e a crescerem mais naquilo que tem sido a qualidade individual dos jogadores, como são os casos de Zito e o Ary Papel, este último que está a encontrar a forma desportiva. No ataque tem ainda o Dagó, que se enquadrou bem no estilo de jogar do 1º de Agosto, tem o melhor marcador e uma defesa que não sofre golos. Quer dizer que são enormes as dificuldades a encontrar”.
Mas o treinador promete trabalhar para anular os pontos fortes do 1º de Agosto.
“Vamos esperar que encontremos um 1º de Agosto nos seus piores dias, e nós nos melhores. Se isso acontecer, de certeza absoluta, vamos terminar o jogo de cabeça levantada e com o troféu na mão”, disse.