Desporto

Marca Lacatoni veste selecção sem todos os componentes

A Selecção Nacional Sub-17 de Futebol competiu na 18ª edição do Campeonato do Mundo, que começou em 26 de Outubro no Distrito Federal do Gama, na capital brasileira, Brasília, com quatro pares de equipamento de marca Lacatoni, num total de 108 camisolas, mais de duas centenas de calções, 116 pares de meias e igual número de caneleiras, mas incompleto.


A informação foi avançada em Goiânia, ao Jornal de Angola, por um elemento da equipa técnica do combinado, quando informava sobre as condições logísticas.
O equipamento principal foi o tradicional com camisola vermelha, calções de cor preta e meias vermelhas, e foram escolhidos como alternativos o branco e o amarelo.
Durante a fase de preparação e na competição, o conjunto nacional foi alternando o equipamento, com as cores vermelha, amarelo e branco. Noutras ocasiões, tem trabalhado também com azul, verde e cinza para os guarda-redes, cada um com três mudas.
Para cada sessão de treino, os jogadores tinham cada um três pares de equipamento desde as botas, camisolas, meias e roupas interior. Mas, foi revelado que faltaram algumas peças para equipar melhor a Selecção Nacional, que treinava com 20 bolas, entregues antes do Mundial pela FIFA.
A Federação Angolana de Futebol (FAF) assinou um contrato com a marca portuguesa Lacatoni, para vestir todas as Selecções Nacionais, mas a reportagem do Jornal de Angola constatou no Brasil que alguns membros da delegação ainda se apresentaram com meias de marca Adidas e camisolas da Puma. Aliás, isto foi observado, mesmo em Luanda, durante a preparação iniciada no ano passado no “Quintalão” do São Paulo, no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda, para a disputa da Taça Cosafa, que deu a qualificação à Selecção Nacional para o Campeonato Africano das Nações (CAN), disputado entre 14 e 28 de Abril, na cidade de Dar es Salaam, na Tanzânia.