Desporto

Petro de Luanda persegue presença no primeiro lugar

A conquista da vitória frente ao Recreativo do Libolo, amanhã às 16h00 no Estádio Nacional 11 de Novembro, jogo referente à 13ª jornada do Girabola, coloca o Petro de Luanda, pela primeira vez, no comando da tabela classificativa, por troca com os militares do Rio Seco, tetra-campeões nacionais, que entram em cena apenas Domingo, diante da Académica do Lobito.

Distantes do degrau mais alto desde a 22ª jornada do campeonato passado, altura em que foram alcançados pelo 1º de Agosto, após o empate (1-1), na deslocação ao reduto do FC Bravos do Maquis, enquanto o arqui-rival superou folgado o Recreativo do Libolo, por 3-0, os petrolíferos às ordens do espanhol Antonio Cosano podem acordar a olhar a concorrência de cima para baixo.
A sair de uma dupla ronda africana marcada por desempenho aquém do perspectivado, em função da derrota (0-3), na deslocação ao terreno do Mamelodi Sundowns da África do Sul, e o empate caseiro (1-1), frente ao USMA da Argélia, o Petro de Luanda explora o factor casa para somar os três pontos e ganhar terreno na corrida à conquista do título da competição, proeza que escapa há uma década.
O desafio desta tarde pode ser marcado por algumas mudanças na equipa tricolor, segunda classificada com 29 pontos, sobretudo na baliza. Gerson, afastado do onze desde o dia 9 de Fevereiro, na sequência da falha no golo de Dany Massunguna, que ditou a vitória dos militares no clássico, é um dos candidatos para substituir o limitado Élber, guarda-redes promovido a titular pelo brasileiro Beto Bianchi e ratificado por Cosano.
No lançamento da partida, o treinador dos tricolores realçou o respeito que têm pelo Libolo, por se tratar de “uma equipa que já foi campeã, não há muito tempo”. O perfil de André Macanga, jovem treinador angolano com registos de profissional talhado para o sucesso, mereceu a atenção do espanhol: “Certamente vem para jogar olhos nos olhos. Temos de estar a bom nível e tentar implementar o nosso jogo desde o primeiro minuto. A ideia é sempre a mesma. Fazer um jogo com controlo, através da bola, sendo ofensivos e verticais. Pode haver algumas mexidas na equipa inicial, mas a nossa ideia de jogo é a mesma. Preparámos o jogo com a mentalidade de vencer, desde o primeiro minuto”.
A derrota (1-4) na vila de Calulo, frente aos tetra-campeões, travou o embalo da formação do Cuanza-Sul, enguiço confirmado com o empate (0-0), diante do 1º de Maio de Benguela. Mas Macanga passa para fora uma mensagem de confiança, convicto da recuperação dos níveis competitivos do plantel.
“Vamos defrontar uma equipa que está muito bem no campeonato. Em casa tem sido muito forte. Mas vamos montar uma estratégia, para que possamos surpreender o Petro. É um jogo de campeões. O Libolo também atravessa um bom momento no campeonato, embora tivéssemos registado dois resultados negativos, frente ao 1º de Agosto e ao 1º de Maio, que não esperávamos. Estamos a trabalhar no sentido de fazer o jogo que temos feito em todos os campos, sabendo de antemão que será muito difícil, porque o Petro em casa tem sido muito forte. Esperamos que seja um bom jogo e que vença a melhor equipa”, assumiu o técnico do actual quarto colocado da prova, com 25 pontos.