Economia

AGT ajusta conselho de administração

O Ministério das Finanças procedeu ontem a um ajustamento do Conselho de Administração da Administração-Geral Tributária (AGT), com a exoneração de Nikolas Gelber da Silva Neto, do cargo de administrador da instituição, anunciou a instituição em comunicado.

Em comunicado a que a Angop teve acesso, a Administração Geral Tributária, em coordenação com as autoridades de investigação do país, refere que tem vindo a desencadear diligências internas para a protecção dos direitos dos contribuintes, impedir o descaminho de tributos devidos ao Estado e moralizar a instituição.
Por isso, acrescenta o documento, o Conselho de Administração da Administração Geral Tributária mantém a plenitude das suas competências legais e estatutárias e assegura a normalidade de todos os procedimentos necessários ao pleno desempenho da missão da Administração Geral Tributária, tendo como base os valores da honestidade, integridade, unidade e justiça. Por seu turno, o director dos Serviços Fiscais, Júlio César Londa, garantiu quarta-feira, no Lubango, que a Administração Geral Tributária vai trabalhar no alargamento da base tributária e combater a informalidade, através da conversão da economia informal para formal.
Júlio César Londa, que falava no final de um encontro com o governador da província da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visando colher subsídios sobre o projecto em causa, disse ser pretensão da AGT que as autoridades locais estejam todas engajadas nesta acção para a formalização da economia.
Júlio César Londa defendeu a sensibilização dos agentes do sector informal da economia, dos funcionários públicos e todos aqueles  que estão no sector formal.
“Percebermos que o nosso país precisa de esforço de todos, da contribuição de todos para ultrapassarmos essa fase de menos receitas que vivemos”, afirmou Júlio César Londa.