Economia

Comércio quer garantir corredor para exportar produtos nacionais

O Ministério da Indústria e Comércio pretende renovar com a União Europeia o Projecto de Apoio ao Sector do Comércio (ACOM), para alavancar a economia nacional e reforçar as exportações para o mercado europeu e países vizinhos da região, através da criação de condições que garantam um corredor para a exportação dos produtos nacionais aos mercados europeus e a região vai andar, neste período, em alinhamento com a pretensão do aumento da oferta interna de bens essenciais.

De acordo com o ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, ontem, em Luanda, na 1ª Reunião do Comité de Pilotagem do Projecto de Apoio ao Sector do Comércio, a intenção dos organismos associados é apoiar os esforços de Angola na diversificação da economia e garantir a prestação de assistência técnica e de estudos especializados localmente.

Através do referido protocolo, a visão estratégica do Comércio está focada no fortalecimento da participação do país no desafio de integração económica regional e continental africana.

Neste sentido, de acordo com o ministro Victor Fernandes, o apoio ao PRODESI e demais programas do Governo assumem prioridade.

O projecto ACOM, em im-plementação desde 2014, foi financiado com 12 milhões de euros e tem o seu termo previsto para em Fevereiro de 2022. Segundo dados dos promotores, até ao momento, os programas iniciados apresentam uma execução de 60 por cento. É um dos apoios da União Europeia no desenvolvimento das capacidades nacionais e na realização de estudos especializados nas áreas do fomento do investimento, fomento ao sector privado, diplomacia comercial, bem como na defesa comercial, através da facilitação do comércio.

O embaixador da União Europeia, Tomás Ulicny, disse ser positivo o resultado do projecto ACOM em Angola, tendo garantido a sua continuidade, além de um maior apoio para o sector da indústria e comércio no sentido de exportar os produtos angolano no mercado regional.

Para Tomás Ulicny, na próxima fase de cooperação, o segmento das exportações e promoção do mercado angolano vai ser uma das áreas prioritárias da União Europeia, que garante, de igual modo, o contínuo reforço da parceria em curso a todos os níveis com o sector do Comércio e outros.

No encontro, a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola (AIPEX) foi apresentada como sendo uma das instituições contempladas do projecto ACOM, no ramo do comércio internacional.

Segundo a administradora, Sandra Dias dos Santos, com o projecto, a agência formou cerca de 75 quadros ligados ao departamento das exportações e sector privado.

Apontou produtos como mel, rochas ornamentais e frutas tropicais como os que deverão investir para aumentar a sua exportação em mercados estratégicos de elevado consumo daqueles bens.