Economia

Fundo Soberano actualiza os activos

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) anunciou ontem a actualização dos seus investimentos do segundo trimestre do ano em curso, cobrindo o período de 1 de Abril a 30 de Junho. No final deste período, os activos totais do Fundo estavam avaliados em 5,05 mil milhões de dólares, indica um comunicado do FSDEA.

Os activos totais do FSDEA, segundo o documento, aumentaram para 5,05 mil milhões de dólares contra os 4,99 mil milhões em 2016. Ao todo, 48 por cento da carteira total foi dedicada a activos na África subsariana, 28 por cento na América do Norte, 18 por cento na Europa e seis por cento no resto do mundo.
A carteira de investimentos líquidos do Fundo obteve um resultado bruto de 67,27 milhões de dólares. Os investimentos líquidos em rendimento fixo foram avaliados em 891 milhões de dólares, representando 18 por cento da carteira total.
Já os investimentos líquidos em rendimento variável foram avaliados em 674 milhões de dólares, representando 14 por cento da carteira total.
Ao todo, 459 milhões de dólares da dotação da carteira de 2,7 mil milhões de dólares em private equity (modalidade de investimento em que empresas aportam, por meio de fundos especificamente criados para esse fim, capital em outras organizações) foram já investidos em activos em Angola e a nível da região da África subsariana.
Os principais ganhos dos sete fundos de investimento em private equity registaram-se no Fundo para Agricultura (0,11 mil milhões de dólares), no Fundo para Infra-estrutura (0,12 mil milhões) e no Fundo para Silvicultura (0,04 mil milhões), o que compensou a depreciação de capital de 0,02 mil milhões de dólares dos quatro fundos restantes. No comunicado, sublinha-se que nenhum capital adicional foi pago ao FSDEA pelo Governo.
O presidente do Conselho de Administração do FSDEA fez um comentário sobre o desempenho da instituição. Numa altura em que o Fundo comemora o seu quinto aniversário, José Filomeno dos Santos disse estar muito contente com o resultado alcançado num período tão curto de tempo. “Continuamos a registar uma apreciação contínua da carteira de private equity. Os ganhos de capital que continuamos a realizar são um testemunho do progresso inquestionável na implementação da política de investimento do FSDEA definida pelo Governo de Angola. Os resultados para o segundo trimestre confirmam um bom equilíbrio entre o crescimento e a rentabilidade”, frisou.
José Filomeno dos Santos defendeu que se invista “de forma prudente” e se apoie o desenvolvimento do sector não-petrolífero nacional, “para contrabalançar o ambiente macroeconómico desafiante a nível nacional e internacional”.
O Fundo Soberano de Angola (FSDEA) é pertencente integralmente ao Estado angolano. Está estabelecido em conformidade com padrões de referência internacionais de governança e desenvolve uma carteira de investimento num número variado de sectores e classes de activos, de acordo com a política de investimento e as directrizes estabelecidas pelo Estado.
Ao privilegiar investimentos que geram retornos financeiros a longo prazo e que são socialmente potenciadores, o Fundo Soberano de Angola (FSDEA) desempenha um papel importante na promoção da prosperidade sócio-económica de Angola, gerando riqueza para as actuais e futuras gerações.