Economia

País desenvolve esforços para produção de papel

O Ministério da Indústria desenvolve, na província de Benguela, um projecto de repovoamento florestal, tendo em vista a reactivação no país da indústria de papel e derivados, anunciou ontem a titular da pasta.

Bernarda Martins prestou a informação à imprensa, no decurso de uma visita que efectuou às instalações da antiga fábrica de Celulose e Papel de Angola, localizada no Alto Catumbela, município da Ganda, província de Benguela. Com o projecto de repovoamento em curso, disse, o país pode voltar  a produzir papel e seus derivados nos próximos 10 anos.
Além da antiga fábrica de celulose, a ministra da Indústria visitou um viveiro de eucaliptos da empresa Estrela da Floresta, com 150 mil plantas da espécie “brownii”, das quais 71 mil já plantadas, prevendo-se que atinjam a maturidade num período de até oito anos.Um projecto dessa natureza, lembrou a ministra da Indústria, começa pela produção da matéria-prima, processo que leva anos, sobretudo para a produção.
O Estado, através do Ministério da Indústria, celebrou um acordo com o Fundo Soberano, que resultou na adjudicação do projecto de repovoamento florestal à  empresa Estrela da Floresta. “A fábrica para ser montada precisa, no mínimo, de dois anos, mas a matéria-prima para estar pronta requer entre sete e oito anos, tempo necessário para que os eucaliptos estejam prontos para o processo de fabrico”, explicou a ministra.
Segundo a ministra, “para que uma fábrica dessa natureza arranque, são precisos, no mínimo, 200 mil hectares de eucaliptos plantados.”
 Segundo Bernarda Martins, os resultados já alcançados indicam que o projecto está no bom caminho.“Agora, vamos continuar a elaborar estudos, que vão determinar o arranque das obras de construção de uma nova fábrica de Celulose e Papel no Alto Catumbela”, afirmou.