Economia

Vice-presidente anuncia participação em Davos

O vice-presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, dirige a delegação da África do Sul ao 48º Fórum Económico Mundial (WEF) de Davos, na Suíça, noticiou ontem a imprensa daquele país.

A reunião, prevista para 23 a 26 de Janeiro corrente, visa “explorar as raizes das múltiplas fracturas políticas, económicas e sociais da sociedade mundial” e encontrar “soluções pragmáticas”, segundo um comunicado da Presidência sul-africana.
Ramaphosa que, como em 2017, chefiou uma similar, far-se-á acompanhar por ministros e líderes de empresas sul-africanos, coordenados pelo ministro das Finanças, Malusi Gigaba.
“O Presidente Jacob Zuma desejou boa sorte à delegação para esta reunião anual que constitui uma importante plataforma para apresentar e promover o país enquanto destino a homens de negócios e a outros actores internacionais”, lê-se no comunicado. O Fórum reunirá três mil dirigentes da sociedade civil, das artes, círculos de negócios, de organizações internacionais, Governos e de universidades.
Antes, na terça-feira, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que vai participar no Fórum Económico Mundial, tornando-se no primeiro Chefe de Estado daquele país a ir ao encontro depois de Bill Clinton em 2000.
Durante a campanha presidencial, a equipa de Trump criticou o evento realizado nos Alpes Suíços, dizendo que era um exemplo daquilo que estava errado com o partido Democrata, liderado por Hillary Clinton. Steve Bannon, antigo conselheiro estratégico de Trump, chegou mesmo a dizer que as pessoas estavam “cansadas de ser ordenadas por aquilo a que chamamos o partido de Davos”.