Gente

Carlos Queirós desvenda segredos

O veterano Carlos Queirós esteve num programa da Rádio 5, dirigido pela radialista Ana Cristina Jeremias. Numa conversa animada e com risos à mistura, o  veterano Carlos Queirós disse que, antes de aderir ao futebol, sonhava ser clérigo.

 “Só não fui padre porque o meu padrasto morreu”, explicou. Natural da Quibala, província do Cuanza-Sul, o Bigodinho, como era carinhosamente chamado por Demóstenes de Almeida e Rui Clinton, nasceu no dia 31 de Março de 1946. Esteve ligado à reabertura das Oficinas Gerais de Reparação (OGR) pertencentes às Forças Armadas Angolanas (FAA) e foi mecânico na concessionária da Volkswagen. Iniciou a carreira desportiva aos 16 anos no Atlético de Luanda, em 1962, onde participou simultaneamente nas categorias juvenil e júnior. Em 1965, subiu à categoria júnior e no ano seguinte tornou-se campeão nacional e considerado o Melhor Jogador do Campeonato de Luanda. Com a ascensão a sénior, Carlos Queirós integrou várias vezes as selecções provinciais (ultramarinas) nos torneios e jogos amigáveis contra clubes portugueses, entre os quais o Varzim e Belenenses.