Gente

Chico Buarque vence Prémio Camões 2019

O músico e escritor brasileiro Chico Buarque sagrou-se vencedor do Prémio Camões, edição 2019, do maior título de literatura da língua portuguesa.

A decisão do júri foi divulgada ontem, à noite, após a reunião realizada na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.

Chico Buarque, autor dos livros "Estorvo", "Benjamim", "Budapeste" e "Leite Derramado", recebe como galardão 100 mil euros.

O júri que atribuiu o prémio a Chico Buraque é composto por Manuel Frias Martins, professor jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Clara Rowland, professora associada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Antonio Cícero, ensaísta e poeta brasileiro, António Hohlfeldt, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Ana Paula Tavares, poeta e professora universitária angolana, e Nataniel Ngomane, professor da Faculdade de Letras da Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo.

Chico Buarque é nome artístico de Francisco Buarque de Holanda, popularmente Chico Buarque de Holanda, nasceu, em 1944, no Rio de Janeiro.

Durante o regime militar no Brasil, Chico Buarque teve várias canções censuradas. Trabalhou com os compositores Vinícios de Morais, Tom Jobim, Toquinho, Milton Nascimento, Caetano Veloso, entre outros.

Buarque é o 13º autor brasileiro a receber o prémio que vai na 31ª edição. Entre outros, receberam o prémio João Cabral de Melo Neto, Rachel de Queiroz, Jorge Amado e Lygia Fagundes Telles.

Portugal é o segundo país com mais vencedores, entre os quais Miguel Torga (1989), Vergílio Ferreira (1992), José Saramago (1995) e Sophia de Mello Breyner Andresen (1999).

Nos países africanos de expressão portuguesa, foram vencedores os moçambicanos José Craveirinha e Mia Couto, angolanos Pepetela e Luandino Vieira (que recusou receber) e os cabo-verdianos Arménio Vieira e Germano Almeida.