Política

Djibuti pede apoio político ao Governo

O Djibuti solicitou o apoio de Angola à candidatura daquele país a membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, revelou o ministro da Cultura, Mounin Barreh.

À imprensa, no final da audiência que lhe foi concedida pelo Chefe de Estado angolano, Mounin Barreh disse que entregou uma mensagem ao Presidente da República do seu homólogo, Ismael Omar Guellen.
O Presidente da República, João Lourenço, recebeu em separado, quarta-feira à noite, no Palácio Presidencial da Cidade Alta, os homólogos da Namíbia e do Mali, respectivamente Hage Geingob e Ibrahim Boubacar Keita, para analisar questões de interesse comum.
Ainda no Palácio Presidencial, o Chefe de Estado angolano recebeu, também em audiências separadas, o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki, a directora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, e o ministro da Cultura do Djibuti, Mounin Hassan Barreh.
À imprensa, o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, que acompanhou os dignitários ao Palácio Presidencial, disse que os encontros serviram para discutir “alguns assuntos de interesse comum”.
Com o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki, esteve no centro do diálogo a actual situação no continente africano, com particular realce para os acordos de paz assinados em Moçambique e no Sudão, este relacionado com a criação de um governo civil.
Quarta-feira em Luanda, Moussa Faki manifestou preocupação com o recrudescer do extremismo violento no continente e a ramificação dos grupos rebeldes, como o Boko Haram, que entre outras regiões, actua no Sahel e no lago Tchad.