Política

EUA pretendem reforçar cooperação com Angola

Os Estados Unidos da América (EUA) pretendem reforçar a cooperação com Angola no domínio do ensino militar, além de outras áreas de interesse bilateral, afirmou na segunda-feira, no Lobito, o chefe da Cooperação Militar da Embaixada norte-americana em Luanda, major Lucke Fabiunke.

O diplomata militar americano, que falava durante uma visita à Academia Militar do Exército, disse que a cooperação entre os dois países no ensino militar pode ser desenvolvida para a troca de experiência nos ramos de ensino das Forças Armadas Angolanas (FAA).
“Estamos abertos para cooperar e realizar intercâmbio entre o corpo docente e cadetes da Academia Militar do Exército com o meu país. Sei que estão aqui cadetes nesta sala. Devo dizer que instrução militar é uma óptima oportunidade para quem abraça os serviços militares. Então, devem esforçar-se durante a formação”, disse.
Na óptica do diplomata americano, só bem preparados os cadetes podem fazer frente às várias adversidades impostas pelo cumprimento de missões militares. “Está aqui a ser formada a futura geração que vai liderar as FAA no futuro”, considerou o diplomata.
Lucke Fabiunke realçou o papel das FAA no continente e em particular na região, acrescentando que é olhando para os desafios relativos à segurança que os Estados Unidos reforçam a cooperação com Angola.
“O Governo americano procura com os seus parceiros africanos consolidar as parcerias para fazer frente aos desafios no domínio da segurança”, disse.
As Forças Armadas Angolanas possuem uma vasta experiência e nós procuramos trocar experiências no domínio das boas práticas no quadro do desenvolvimento e capacidade de actuação, disse o diplomata norte-americano.
O comandante da Academia Militar do Exército, tenente-general José de Sousa Queirós, afirmou que a instituição tem por missão formar oficiais destinados aos quadros permanentes deste ramo das FAA, conferindo as competências adequadas ao cumprimento das missões e promovendo o desenvolvimento individual para o exercício de funções de chefia.