Mundo

Advogado do primeiro-ministro envolvido em caso de corrupção

A Polícia israelita afirmou ontem, após um longo inquérito, possuir provas do envolvimento de David Shimron, advogado do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, num caso de corrupção e de branqueamento de dinheiro.


O dossier diz respeito a suspeitas de alegada corrupção relacionada com a venda pela Alemanha a Israel de submarinos militares do gigante industrial alemão Thyssen Krupp.
A Polícia suspeita igualmente que David Sharan, antigo chefe de gabinete do primeiro-ministro israelita, e o antigo comandante da Marinha, o almirante na reserva Eliezer Marom, também estão envolvidos no caso, segundo um comunicado.
Compete agora ao procurador-geral decidir sobre a acusação dos suspeitos.
O chefe do Governo israelita nunca foi posto em causa, mas foi interrogado no âmbito deste inquérito.
Netanyahu é visado em várias outras investigações por alegada corrupção, susceptíveis de ameaçar a sua longevidade no poder e foi interrogado mais de uma dezena de vezes, como suspeito ou como testemunha.
A Polícia de investigação israelita recomendou em Fevereiro a acusação de Netanyahu em dois inquéritos, um sobre ofertas que terá recebido indevidamente de celebridades e outro sobre um acordo secreto que terá tentado fazer com um jornal popular para uma cobertura favorável.
O procurador-geral de Israel deve tomar uma decisão nos próximos meses e avivar assim as especulações sobre o futuro de Benjamin Netanyahu.