Mundo / África

Estado de emergência volta a ser prolongado

A Presidência tunisina anunciou o prolongamento até 6 de Dezembro do estado de emergência no país, em vigor há três anos devido a uma série de ataques realizados em 2015.

O novo prolongamento, de mais um mês, ocorre uma semana após um atentado suicida na principal avenida da capital, Tunes, que causou 20 feridos.
O estado de emergência concede poderes de excepção às forças de segurança, permitindo a proibição de greves e reuniões e a utilização de medidas para assegurar o controlo da imprensa. A Presidência indicou que o Chefe de Estado, Beji Caid Essebsi, tomou a decisão após ter consultado o presidente do Parlamento e o primeiro-ministro, Youssef Chahed.
As relações entre Caid Essebsi e Chahed são tensas e a Presidência disse na segunda-feira à noite que não aprovava a remodelação anunciada pelo primeiro-ministro e que não necessita da sua ratificação.