Mundo

Burundi: Oposição protesta e já fala em fraude

A oposição burundesa, alegou, ontem, a existência de “numerosas irregularidades” nas eleições de terça-feira e anunciou que vai apresentar um pedido de impugnação às instâncias oficiais.

Segundo a Reuters, a oposição fala da existência de “vários” e “importantes” incidentes em todo o país que “não possibilitaram a livre expressão da vontade popular”. A imprensa local, citada pela Reuters, tem uma opinião diferente e diz que o processo de votação “decorreu sem incidentes”, de forma “absolutamente” livre e pacífica, não havendo razões para “qualquer tipo de contestação”.

Ontem, prosseguia a contagem dos votos, depois das eleições comunais, legislativas e da primeira volta das presidenciais, na qual participaram cinco milhões e cem mil eleitores. As eleições presidenciais marcam o fim da era de Pierre Nkurunziza, na direcção do país desde 2005, depois de uma controversa reeleição em 2015, que mergulhou o país numa crise política, provocando 1.200 mortos e o êxodo de 400 mil burundeses. O candidato do partido no poder, CNDD-FDD, principal favorito ao triunfo, é o general Évariste Ndayishimiye, de 52 anos, que concorre com o líder da oposição, Agathon Rwasa, 56 anos.