Mundo

Disparos contra aeroporto causam suspensão de voos

O aeroporto internacional de Mitiga foi alvo de “seis 'rockets' Grad”, um acto que constitui “uma ameaça flagrante” para a segurança do tráfego aéreo e uma “nova violação do cessar-fogo”, instaurado desde 12 de Janeiro entre os beligerantes líbios, denunciou, hoje o porta-voz do Governo de Acordo Naciona (GAN), Mohamad Gnounou.

Gnounou acusou “as forças do marechal Khalifa Haftar” dos disparos. A direcção do aeroporto de Mitiga anunciou a “suspensão dos voos até nova ordem” devido a “tiros indiscriminados” e um avião da companhia Libyan Airlines, vindo de Tunes, foi desviado para Misrata, cidade localizada a 200 quilómetros a Leste de Tripoli.
Desde o início, a 4 de Abril, de uma ofensiva do Exército Nacional Líbio, dirigido pelo marechal Khalifa Haftar, pelo controlo de Tripoli, o aeroporto já foi várias vezes alvo de ataques aéreos e de disparos de “rockets” atribuídos aos pró-Haftar.
Estes acusam o GAN de utilizar o aeroporto para fins militares, o que o Governo, sediado em Tripoli e reconhecido pela ONU desmente.
O tráfego aéreo em Mitiga foi retomado em meados de Dezembro, após três meses de suspensão.
Mitiga era uma base militar antes do aeroporto ter sido aberto ao tráfego civil para substituir o aeroporto internacional de Tripoli, gravemente danificado na violência ocorrida em 2014.
Desde 2015 que as duas autoridades rivais disputam o poder na Líbia, país que mergulhou no caos após a queda de Muammar Khadafi, em 2011.