Mundo

Irão ameaça reconsiderar compromissos com AIEA

O Irão disse estar a “reconsiderar seriamente” os seus compromissos para com a Agência Internacional de Energia Atómica, na sequência da ameaça dos europeus de activar um mecanismo do acordo de 2015 para restabelecer sanções, noticiou a Lusa.

“Se houver recurso a esse mecanismo, o Irão será forçado a reconsiderar seriamente alguns dos seus compromissos” para com a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), afirmou domingo o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani.
“Se acham que [activar o mecanismo] é o melhor, po-dem fazê-lo”, acrescentou Larijani, em conferência de imprensa.
O acordo sobre o programa nuclear do Irão, assinado em 2015, em Viena, depois de vá-
rios anos de esforços diplomáticos, prevê uma limitação do programa nuclear iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais contra o país.
No entanto, em Maio de 2018, os Estados Unidos decidiram retirar-se unilateralmente do acordo e restabe-
leceram sanções punitivas contra o Irão, impedindo a recuperação económica pretendida por Teerão.
Um ano depois, em Maio deste ano, e após ter aguardado sem sucesso que as outras partes do acordo - França, Reino Unido, Alemanha, Rússia e China e União Europeia - ajudassem o país a contornar as novas sanções norte-americanas, o Irão anunciou que ia alterar progressivamente alguns dos compromissos assumidos.
No início de Julho, Teerão anunciou o aumento do limite imposto às suas reservas de urânio enriquecido para 4,5 por cento, ultrapassando o máximo autorizado pelo acordo (3,67%).