Mundo

ONU denuncia violações graves dos direitos da criança

Uma porta-voz da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da RDC (MONUSCO) afirmou, na quarta-feira, que 23 violações graves dos direitos da criança e mais de 200 alegações de recrutamento de crianças foram documentadas nas províncias de Kasai (centro-sul) e no leste da RDC.

Florence Marshal afirmou, com base em relatórios sobre a protecção da criança da MONUSCO, que os autores destas violações são elementos dos grupos armados Maï-Maï Mazembe, Maï-äï Yakutumba, Ndc-Renové, movimentos armados não identificados e agentes das forças de defesa congolesas. E acrescentou que estes crimes consistem em assassinatos, mutilação, recrutamento e utilização de crianças bem como em ataques perpetrados contra escolas e hospitais.
No mesmo dia, o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) manifestou “preocupação particular” pela situação de sete milhões de pessoas vítimas da violência e confrontos armados reiterados, causando imensos sofrimentos humanos em várias províncias da RDC.
Em comunicado, o comité sublinha que estes sete milhões de pessoas, das quais mais da metade foram deslocadas pelos combates, necessitam de ajuda de emergência, ao mesmo tempo que refere que, desde há algum tempo, a violência sofrida pelos civis na RDC escapa à atenção internacional.
“Apelamos à comunidade internacional para se mobilizar para responder às necessidades dos milhões de pessoas duramente atingidas pela violência e pelo conflito armado”, conclui o documento.