Mundo

Reservas do Mar Negro têm mais 85 mil milhões de metros cúbicos

A Turquia consome, por ano, entre 45 e 50 mil milhões de metros cúbicos de gás natural, quase todo importado, especialmente da Rússia, o que representa cerca de 11 mil milhões de euros, de acordo com a Autoridade Reguladora do Mercado Energético.

O país aumentou a procura marítima em recursos hidrocarbonetos com vários navios-sonda em águas próximas. A descoberta do Mar Negro não vai impedir a exploração no Mediterrâneo oriental, apesar das acusações da vizinha Grécia sobre violação das fronteiras marítimas. A Turquia retomou esta semana a exploração em áreas disputadas do Mediterrâneo, desafiando os apelos de outros membros da OTAN, incluindo os Estados Unidos para se retirarem.

“A Turquia está determinada a defender os seus interesses” no Mediterrâneo, mas não quer “usurpar os direitos dos outros”, segundo Erdogan. O Presidente da Turquia anunciou, ontem, que a reserva de gás natural descoberta no Verão, no Mar Negro, é maior do que inicialmente previsto em 85 biliões de metros cúbicos, totalizando 405 biliões de metros cúbicos.

“Existem 85 biliões de metros cúbicos adicionais (...). A reserva de gás natural atingiu, portanto, 405 biliões de metros cúbicos”, anunciou Recep Tayyip Erdogan, a bordo do navio-sonda de perfuração Fatih (o conquistador, em turco) no Mar Negro.

O Presidente anunciou, ainda, que as explorações no poço Tuna-1 foram concluídas.

Em Agosto, a Turquia anunciou a descoberta do maior depósito de gás natural da sua história, então de 320 biliões de metros cúbicos de reserva, na costa do Mar Negro, que os analistas de energia consideram notável, mas não grande o suficiente para a Turquia se tornar num centro regional de energia.