Opinião / Cartas dos Leitores

Centros de acolhimento

Tenho conhecimento de que muitas crianças que se encontram em centros de acolhimento saem deles para voltarem a viver nas ruas. É preciso que se saiba as razões por que as crianças não gostam de ficar nos centros de acolhimento. Será que estes centros reúnem as condições essenciais para albergar crianças que, por razões várias, abandonaram os seus lares?

Será que esses centros têm especialistas para acompanhar crianças traumatizadas por maus-tratos físicos e psicológicos ou em conflito com a lei?
A nossa Constituição protege a criança, dispondo que a família, a sociedade e o Estado devem prestar especial atenção aos menores e assegurar a sua ampla defesa contra todas as formas de abandono, discriminação, opressão ou exploração.
Que as autoridades competentes tomem medidas para que os centros de acolhimento sejam lugares bons para as crianças viverem, enquanto não houver condições para regressarem aos seus lares.
Que nenhuma criança esteja na rua e deve-se persistir no trabalho de colocar menores que abandonaram os seus lares a viver dignamente nos centros de acolhimento e com a possibilidade de ser educadas e de aprenderem uma profissão.
Alice Jesus|Cassequel

 


Violência doméstica
A violência doméstica é ainda um grave problema na nossa sociedade. Muitas mulheres e crianças são diariamente violentadas nos seus lares e nem sempre estão em condições de pedir a protecção do Estado.
Que os cidadãos não tenham receio de denunciar os casos de violência doméstica que ocorram perto de suas residências.
A Polícia tem já mecanismos para ocultar a identidade de quem faz denúncias sobre violência doméstica.
As vítimas de violência ou os seus familiares devem informar as autoridades competentes de actos que contra si são praticados.
Há pessoas que são violentadas por longo tempo, mas não denunciam a sua situação à Polícia, com medo de que possa não ter um lar para viver.
Os agressores, não sendo punidos, sentem-se incentivados a cometer reiteradamente actos de violência contra os seus próprios familiares, os quais resultam muitas vezes em mortes.
Francisco Panzo |Bairro Neves Bendinha



O preço do peixe
Fui ao mercado no sábado passado e verifiquei que o preço do peixe está demasiado alto. Tenho um salário muito baixo e gostava que o peixe fosse comercializado a preços que permitissem que os pobres pudessem comprar.
A carne está cada vez mais cara e o peixe seria uma boa alternativa para muitas famílias com baixos rendimentos.
Que se procurem as causas da alta dos preços do peixe e se tomem imediatamente medidas.
Mariana Lucas |Samba