Opinião / Editorial

O Presidente da República e o estado da Nação

Os angolanos tiveram ontem a oportunidade de ouvir o discurso sobre o estado da Nação proferido pelo Presidente da República, João Lourenço, nos termos do artigo 118º da Constituição.


Dispõe o artigo 118 da Constituição que "o Presidente da República dirige ao país , na abertura do ano parlamentar, na Assembleia Nacional, uma mensagem sobre o estado da Nação e as políticas preconizadas para a resolução dos principais assuntos, promoção do bem-estar dos angolanos e desenvolvimento do país".
Os angolanos aguardavam com muita expectativa o discurso sobre o estado da Nação do Presidente da República, tendo em conta a actual conjuntura económica e social. O Presidente João Lourenço fez questão de fazer uma abordagem transversal sobre o que a sua governação fez nos diversos domínios da vida nacional, em particular nos sectores que apresentavam debilidades de vária ordem, como o da Saúde e da Educação. Tratou-se de uma abordagem que permitiu perceber o que já foi feito ao longo da governação do actual Presidente da República, que entendeu dotar os governados de números, certamente para que estes se apercebam dos esforços que têm sido feitos no sentido da melhoria das suas condições de vida.
João Lourenço deu informações detalhadas aos governados sobre a actividade de todos os sectores da vida nacional, o que pode ajudar os cidadãos a escrutinar o desempenho dos governantes. As pessoas são hoje na nossa sociedade cada vez mais exigentes e querem saber dos resultados concretos da governação.
Há ainda muitas dificuldades por superar, mas os cidadãos já se aperceberam que existe vontade política para mudar muita coisa que está mal. Os actuais governantes não querem que os males continuem a afectar negativamente a vida das populações.
É bom saber que o Titular do Poder Executivo está realmente empenhado em resolver os problemas dos cidadãos. Ele informou os cidadãos sobre as acções do Governo em diferentes áreas, havendo motivos para estarmos optimistas quanto ao futuro. Mas nem todos os problemas podem não ser resolvidos muito rapidamente, por razões objectivas. Como afirmou o Presidente João Lourenço na mensagem sobre o estado da Nação "Angola está no caminho certo. Precisamos todos, governantes e governados, de trabalhar árdua e permanentemente e não ter pressa de colher aquilo que não semeámos, ou, se o fizemos, não está maduro para consumir. Não esquecer o velho ditado: O apressado come cru".
Por via da mensagem do Presidente da República sobre o estado da Nação , os angolanos ficaram a saber o que realmente se passa ao nível da actividade governativa em todo o país, esperando que esta venha a ter um impacto positivo nas suas vidas. Governar é trabalhar em prol do bem-estar das pessoas. Que os governantes estejam centrados na promoção de uma boa qualidade de vida de todos os cidadãos.
O que os cidadãos pretendem é que os governantes se preocupem com os seus problemas e os resolvam, sobretudo nos casos em que, estes, não sendo complexos, podem ter solução célere. O que importa é o s os governantes estejam sempre disponíveis para cumprir a sua espinhosa missão de tirar o pais da situação crítica em que se encontra, para que todos os angolanos possam ter uma vida melhor na Pátria que os viu nascer.