Política

Angola e Suíça preparam acordo para evitar a dupla tributação

Um acordo para evitar a dupla tributação entre Angola e a Suíça pode ser assinado ainda este ano, durante a deslocação a Luanda do ministro das Finanças suíço, Ueli Maurer. O assunto, que já está em negociação, voltou a ser abordado ontem, em Davos, na reunião que a ministra angolana, Vera Daves de Sousa, manteve com o seu homólogo.

A ministra Vera Daves convidou Ueli Maurer a deslocar-se a Angola, o que foi prontamente aceite. As delegações vão, agora, trabalhar na concretização da viagem. Além do acordo para evitar a dupla tributação, os dois países negoceiam, igualmente, os termos de um novo entendimento para a protecção recíproca de investimentos.
O ministro suíço manifestou a disponibilidade de as instituições do seu país apoiarem Angola na reforma e modernização das instituições financeiras, melhorar a regulação e supervisão, além do interesse de diferentes empresas suíças in-vestirem em Angola.
Diante do interesse manifestado pelos suíços, Vera Daves de Sousa falou da realidade macroeconómica e deu explicações sobre as reformas em curso para a melhoria do ambiente de negócios.

Experiência da Nigéria

As ministras das Finanças de Angola e da Nigéria trocaram experiências sobre as medidas estruturais em curso em ambos os países, dois principais produtores de petróleo do continente e que sofreram um choque fiscal desde 2014, em função da queda dos preços das principais matérias-primas.
Vera Daves de Sousa, que participou, em Davos, na 50 edição do Fórum Económico Mundial, fez-se acompanhar da embaixadora de Angola na Suíça, Cecília Rosário, funcionários do Ministério das Finanças, diplomatas da missão angolana junto do Escritório das Nações Unidas e demais Organizações Internacionais, António Nascimento e Alberto Guimarães. Vera Daves de Sousa participou no Fórum Económico Mundial em representação do Presidente da República, João Lourenço. Além da ministra das Finanças, a delegação angolana inte-grou o administrador executivo da Sonangol, Osvaldo Macaia, e o CEO da Angola Cables, António Nunes.

Futuras participações no Fórum Mundial

As novas possibilidades de parceria entre Angola e a organização do Fórum Económico Mundial de Davos (WEF) e a presença nas próximas edições do evento estiveram ontem em análise, naquela estância balnear suíça.
Num encontro com a ministra das Finanças, Vera Daves, a directora executiva para África do WEF, Elsie Kanza, manifestou o desejo da organização em contar com uma presença mais expressiva de Angola nos vários painéis, fóruns de debate e exposições, que visam promover a imagem do país e aumentar a notoriedade internacional junto de investidores, em diferentes ramos.
O WEF é também responsável pela organização do Fórum Económico Mundial para África, cuja próxima edição está prevista para Setembro, na Etiópia. Vera Daves de Sousa teve ainda encontros com a presidente do Fundo Norueguês “NORFUND”, Olaug Svarva, e o director executivo do Grupo Rothchild, com os quais abordou temas relacionados aos seus investimentos em Angola. Outra reunião da ministra das Finanças foi com responsáveis do grupo VTB Capital, que pretende captar novos segmentos da economia angolana.
Entre os painéis, destaque também para o debate sobre “O Futuro dos Mercados Financeiros” que juntou a directora-geral do FMI, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, entre outros. Em abordagem estiveram os riscos que persistem na economia mundial, fruto da disputa comercial entre os EUA e a China, as políticas monetárias dos bancos centrais e o BREXIT. Destaque ainda para as discussões sobre tributação na economia digital, tendo em conta o impacto na era da quarta revolução industrial, o futuro da energia fóssil e a resiliência dos mercados. Participantes , Outlooks regionais com destaque para a realidade africana preencheram igualmente alguns painéis de debates nesta 50ª edição do WEF, plataforma geo-estratégica que acolheu vários líderes mundiais.