Política

Chancelaria em Nairobi rescinde com senhorio

A Embaixada de Angola no Quénia decidiu rescindir o contrato de arrendamento com o proprietário das instalações onde funcionava a chancelaria, anunciou ontem, em nota de imprensa, a Missão Diplomática.


A Embaixada esclarece que o senhorio foi informado, em tempo oportuno, da rescisão do contrato e assumiu o compromisso em regularizar a situação das dívidas contraídas pela gestão anterior. A rescisão deve-se ao processo de redução de custos, em harmonia com o redimensionamento iniciado pelo Ministério das Relações Exteriores de Angola.
Conforme a Angop noticiou na segunda-feira, a Embaixada confirma que, durante o processo de transferência dos pertences para as novas instalações da chancelaria, o senhorio, “inconformado”, decidiu introduzir pessoas estranhas no imóvel e trancou os portões com cadeados, “exigindo o pagamento imediato da dívida”.
Perante este incidente, a Embaixada foi orientada a apresentar uma nota verbal ao Ministério dos Negócios Estrangeiros daquele país, de acordo com o director para África e Médio Oriente do Ministério das Relações Exteriores, Joaquim do Espírito Santo, quando contactado, segunda-feira, pela Angop.
Foi neste quadro que o representante angolano foi recebido, na manhã de segun-da-feira, pelo secretário-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Quénia, que, em nome das autoridades locais, manifestou preocupação com o sucedido. Cumprindo as orientações anunciadas por Joaquim do Espírito Santo à Missão Diplomática de Angola no Quénia, a Em-baixada confirmou ter já apresentado uma Nota Verbal ao Ministério dos Negócios Es-trangeiros queniano.