Política

Construção de basílica vai reforçar relações

 O núncio apostólico acreditado em Angola e São Tomé, Dom Petar Rajic, garantiu se-gunda-feira, em Moçâmedes, que a construção de uma ba-sílica no país, recentemente referenciada pelo Presidente da República, João Lourenço, vai fortificar as relações bilaterais existentes entre Angola e o Estado do Vaticano.

O representante do Papa em Angola, que se encontra no no Namibe onde participa na primeira assembleia plenária anual da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), lembrou que esse projecto é antigo e disse estar muito contente pelo Chefe do Estado angolano ter feito menção ao mesmo.
Sem avançar mais pormenores acerca do horizonte temporal para o arranque das obras da referida basílica, Petar Rajic disse, ao Jornal de Angola, que o projecto é “importante” para os fiéis católicos. Enfatizou que a construção de uma basílica no santuário da Muxima vai fazer com que aquele local de devoção mariana e existente há séculos seja mais valorizado.
O núncio apostólico considerou que a nomeação de um novo embaixador angolano no Vaticano visa fortalecer, ainda mais, as relações existentes entre os dois Estados. Cada mudança, disse, é um factor garante para reforçar as relações já existentes entre o Estado angolano e a Santa Sé. Por isso, desejou ao novo embaixador um bom trabalho.
“A Igreja fica contente a cada momento que é nomea-do um novo representante angolano no Vaticano. Isso é um sinal claro de que o país deseja ter boas relações com a Santa Sé e a Igreja Católica”, afirmou.
Petar Rajic considerou óptimas as relações entre Angola e a Santa Sé, lembrando que o Vaticano sempre teve um representante em Luanda. “É um sinal de que Angola deseja ter uma relação mui-to estreita com o Vaticano”, considerou.