Política

Ministra quer distinção entre o plano de combate à pobreza e o PIIM

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Fernandes Inglês, apelou ontem, em Mbanza Kongo, província do Zaire, para que se evite a má gestão na implementação dos Planos Integrados: de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza e de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Dirigindo-se aos administradores dos seis municípios, no encontro de avaliação do Plano Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, a governante pediu que se identifiquem todos os projectos executados no âmbito deste programa e do PIIM, ambos gizados pelo Executivo.

Sublinhou que em função das datas pode-se identificar, com maior facilidade, se um determinado projecto insere-se no programa de combate à pobreza, que vigora desde 2017, ou no Programa de Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), lançado em 2019.

“Devem considerar o início e a conclusão das obras, em função à data que foi aprovado pelo Orçamento Geral do Estado (OGE) ou pelo PIIM”, reforçou a ministra, para quem um projecto que teve início em 2017 e que foi concluído em 2019 não pode estar inserido no PIIM.

Alertou para a necessidade de se prestar maior atenção às famílias vulneráveis e aos ex-militares nas acções de inclusão produtiva dos municípios, frisando que existem municípios no país que estão na vanguarda na implementação do programa de combate à pobreza, enquanto outros, nem por isso.

“Houve situações em que foram canalizados montantes consideráveis a alguns municípios, mas os respectivos administradores não sabiam como manusear os valores, em função das novas orientações para a fiscalização deste programa”, reconheceu.

A responsável avançou que, o seu sector prepara um encontro com todos os administradores municipais, a ter lugar em Fevereiro próximo, em Luanda, onde vai ser feito o balanço municipal da execução deste plano e dadas orientações específicas.

O encontro de avaliação contou com a presença do governador provincial, Pedro Makita Armando Júlia, e de demais membros do seu pelouro.

A ministra Faustina Fernandes Inglês, que cumpre desde domingo uma jornada de trabalho de três dias ao Zaire, deslocou ainda hoje ao município do Cuimba, 62 quilómetros a noroeste da cidade de Mbanza Kongo.

Quarta-feira, a ministra desloca-se aos municípios do Tomboco e Nzeto, última etapa da sua visita de 72 horas ao Zaire.