Política

Novo edifício para o Tribunal em degradação

O novo edifício do Tribunal Provincial do Moxico está a degradar-se, por falta de uso, apresenta fissuras nas paredes, destruição de mosaico, queda parcial do tecto falso e ausência de portas e de loiça sanitária.

O edifício foi adquirido em boas condições, em 2016, à antiga seguradora “Angola, Agora e Amanhã” (AAA) pelo Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, para albergar o tribunal provincial, como aconteceu com estruturas similares noutros pontos do país, mas nunca foi utilizado.
As obras de adaptação, para acolher o tribunal provincial, nunca foram feitas e o edifício degrada-se por falta de utilização.
O delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos do Moxico, Bernardo Machingo Nunes, disse à Angop que face aos elevados custos para a remodelação do edifício, a responsabilidade da intervenção passou para o ministério de tutela. “As portas do edifício foram vandalizadas, por desconhecidos e o chão acarreta certos riscos para os trabalhadores, pelo que não é seguro que se faça a transferência nessas condições”, afirmou.
O edifício possui dois pisos, tem espaços que podem adaptar-se a salas de julgamentos, ao contrário do actual, com apenas uma.