Política

Presidente da República, João Lourenço: Jaime Vilinga foi figura do nacionalismo

O Presidente da República, João Lourenço, considerou que o embaixador Jaime Vilinga, falecido, ontem, em Luanda, por doença, aos 81 anos, foi “um patriota que, durante parte da sua vida, se dedicou com empenho e firmeza à realização da causa da Independência Nacional e da projecção de Angola no mundo”.

Numa mensagem em nome do Executivo, no seu próprio e no da família, o Chefe de Estado exprimiu sentidas c ondolências à família, colegas e amigos do diplomata.

O Presidente João Lourenço destacou Jaime Vilinga como alguém que desempenhou as funções com zelo e dedicação nos vários países em que nos representou na qualidade de embaixador extraordinário e plenipotenciário.

“Nesta hora em que todos nós nos lembramos com profunda tristeza do desaparecimento físico desta figura do nacionalismo contemporâneo angolano, quero manifestar a nossa indefectível solidariedade à família enlutada”, escreveu, a concluir, o Presidente da República.

De 81 anos, Isaías Jaime Vilinga nasceu a 4 de Março de 1939, no Bailundo, província do Huambo.

Foi embaixador extraordinário e plenipotenciário de Angola em Moçambique, Grécia e no Reino da Suécia, bem como vice-governador da província de Benguela.