Política

Situação migratória analisada em Cabinda

Delegações da província de Cabinda e das prefeituras dos departamentos de Ponta-Negra, Kouilou e Niari (República do Congo) avaliaram segunda-feira, na ci-dade de Cabinda, questões relacionadas com a defesa e segurança ao longo das zonas fronteiriças.

As delegações das quatro províncias analisaram também as transacções e o intercâmbio socioeconómico e cultural entre as regiões. O encontro, que não se realizava há cinco anos, teve como objectivo reforçar as relações no domínio das trocas comerciais, socioculturais e da livre circulação de pessoas e bens no território das quatro províncias.
As delegações foram subdivididas em duas subcomissões de trabalho. A subcomissão de defesa e segurança debateu assuntos referentes à segurança e establidade ao longo da fronteira comum, questões migratórias, os crimes transfronteiriços e a circulação de pessoas e bens na região.
A subcomissão de transacções e intercâmbio socio-económico e cultural avaliou questões relacionadas com as trocas comerciais e as condições de funcionamento dos mercados ao longo da fronteira.
O governador de Cabinda disse, na abertura, que  a reunião marca o relançamento das relações de amizade e de cooperação entre Angola e a República do Congo Brazzaville.
A partilha de uma extensa fronteira terrestre e maríti-ma, disse, obriga as partes a reforçarem a cooperação no âmbito da vigilância e segurança, visando garantir a livre circulação de pessoas e bens e combater o crime transnacional organizado, nome-adamente o tráfico de drogas, de seres humanos e de armas, a pirataria marítima, o terrorismo, o contrabando de combustíveis, de mercadorias e de medicamentos contrafeitos.
O governador de Cabinda propôs a realização de fóruns de negócios, incluindo feiras de exposição a nível da sub-região. O prefeito  de Ponta-Negra, Honoré Alexandre Paka, que falou em nome da delegação congolesa, lamentou a ausência de encontros há mais de cinco anos entre Cabinda e as três prefeituras.