Sociedade

5ª avenida e rua da Tourada foram reabertas ao trânsito

A segunda fase da 5ª Avenida (Cazenga) e a rua que liga a Tourada à cabeceira do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro (Maianga) foram ontem reabertas à circulação.

As duas estradas, abertas na presença do governador Sérgio Rescova, têm como impacto social a melhoria da mobilidade urbana, segurança do tráfego e saneamento básico na zona onde estão inseridas.
A segunda fase da 5ª Avenida, do troço do Centro de Formação Profissional / Deolinda Rodrigues (BCA), tem uma extensão de 2. 260 metros e conta com três faixas de rodagem, das quais uma para estacionamento.
O troço teve reabilitação profunda do pavimento com a colocação do tapete asfáltico, construção de redes de drenagem das águas pluviais.
Na obra foram acauteladas as redes técnicas de energia eléctrica e telecomunicações, iluminação pública, lancis, passeios, arborização, sinalização vertical e horizontal.
As obras, a cargo da em-presa de construção civil MotaEngil Angola, tiveram a duração de 17 meses e contou com 215 trabalhadores nacionais e 22 expatriados para a sua reabilitação.
A Angop apurou que a 5ª Avenida começa na estrada Ngola Kiluanje até à Deolinda Rodrigues (Luanda/Viana), passando pelo Centro de Formação do Cazenga, mercado Asa Branca e Comando de Divisão da Polícia Nacional.
Na Maianga, a via que liga a Tourada até à cabeceira do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, tem uma extensão de 772 metros e teve a duração de um ano.
O troço aberto ontem faz parte do eixo viário que parte da Tourada, passa pelo Cassequel (Maianga), liga ao Bairro Popular, contemplando a estrada do Avô Kumbi (Kilamba Kiaxi) até à Avenida Pedro de Castro a Van-Dúnem Loy.
A obra contempla passeios e lancis, iluminação pública, rede de esgoto e duas faixas para dois sentidos diferentes, cada um com três metros de largura.
O governador Sérgio Rescova recomendou a colocação de quebra-molas para que a circulação seja feita com segurança, já que nem sempre os automobilistas respeitam os limites de velocidade nos centros urbanos.
Disse que a melhoria destas duas estradas vão garantir maior mobilidade e dignificar a vida nos bairros, porque o maior constrangimento é a questão das vias que estão muito degradadas.
Sérgio Rescova explicou que decorre um concurso público para a reabilitação das vias secundárias e terciárias na província de Luanda, estando cadastradas 38 ruas tidas como as principais da cidade capital.