Sociedade

Covid-19: Angola regista a morte de mais duas pessoas e sete infectados

Nas últimas 24 horas o país registou mais sete casos positivos da Covid-19 de transmissão local e dois óbitos, informou ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda, que falava à imprensa durante a actualização dos dados sobre a evolução da pandemia da Covid-19 no país, anunciou, também, a recuperação de quatro pacientes. De acordo com o governante, nesta altura o país tem 291 casos positivos, dos quais 15 óbitos, 97 recuperados e 179 activos. Franco Mufinda esclareceu que dos sete casos positivos, dois são do sexo feminino e cinco do sexo masculino, com idades compreendidas entre 19 e 83 anos.

De acordo com o secretário de Estado, os dois pacientes que morreram ontem estavam internados na Zona Económica Especial (ZEE). Um, de 74 anos de idade, disse Franco Mufinda, sofria de hipertensão arterial e outro, de 57 anos, padecia de diabetes e teve uma paragem cardiovascular de repente. Até ao momento o Sistema Nacional de Saúde Pública registou 43 casos positivos sem vínculo epidemiológico definido, uma realidade que preocupa as autoridades sanitárias do país, que continuam a trabalhar para identificar a ramificação das contaminações.

O secretário de Estado esclareceu que para que uma contaminação seja considerada comunitária no país é necessário atingir 100 casos confirmados sem vínculo epidemiológico. Franco Mufinda alertou a população para observar as medidas de biossegurança recomendadas pelas autoridades. Quanto à província do Cuanza-Norte, explicou que se enquadra na categoria B, por ter registado mais de um caso da Covid-19.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu, nas últimas 24 horas, 132 chamadas, das quais três denúncias de casos suspeitos e 129 relacionadas com pedido de informação sobre a Covid-19. Ao longo do mesmo período foram processadas 332 amostras, sendo sete positivas e 325 negativas.

Na globalidade foram recebidas até ontem 25.586 amostras, das quais 291 positivas, 19.853 negativas e 5.442 em processamento. Segundo o secretário de Estado, nas últimas 24 horas foram dadas alta a 25 pessoas que se encontravam em quarentena institucional, sendo nove em Luanda, seis em Cabinda, igual número no Cunene, duas na Lunda-Norte e Cuando Cubango e uma em Malanje.

Em quarentena institucional estão 1.308 pessoas, 2.215 estão sob investigação e 515 casos são considerados suspeitos. As províncias do Bengo, Malanje, Cunene, Huambo, Lunda-Sul e Moxico realizaram palestras, formação de quadros do sector e recolha de amostras. Com 196 casos positivos e nove mortes, Junho foi o mês com maior número de infecções e de óbitos em Angola, desde a notificação, a 21 de Março, das duas primeiras infecções e óbitos.