Sociedade

Estudantes universitários doam 23 bolsas de sangue

Um total de 23 bolsas de sangue foi colhido, na segunda-feira,no Instituto Superior Politécnico Kangonjo, em Cacuaco, numa acção humanitária que contou com participação de estudantes e professores da instituição académica.

A nobre iniciativa da instituição, a terceira do género, junta-se a árdua luta do Instituto Nacional de Sangue em aumentar o número de dadores voluntários, para colmatar a falta do produto que se regista nas unidades de saúde do país, particularmente de Luanda.
A médica do Instituto Nacional de Sangue, Wato Ndjeka, agradeceu o gesto da instituição e disse que acção surge numa boa altura, numa altura em que stock do INS não dispõe de grandes quantidades do produto para fazer face às solicitações.
Wato Ndjeka explicou que as 23 bolsas de sangue colhidas vão servir para apoiar o Centro Nacional de Oncologia, Hospital Pediátrico David Bernardino e algumas maternidades sediadas na província de Luanda.
A médica, especialista em imunohemoterapia, disse ser pretensão do Instituto Nacional de Sangue contar no instituto superior com 50 dadores voluntários e regulares, para que se consiga atender, com o mínimo de dificuldades, todas as unidades sanitárias que dependem directamente do INS.
Wato Ndjeka disse que, apesar da nobre iniciativa da instituição académica, ainda assim o número de dadores voluntários está muito aquém das expectativas, face às exigencias da Organização Mundial da Saúde (OMS).
“ Caso não atinjamos esta cifra, com certeza, iremos continuar a depender das doações familiares que, por vezes, chega tarde. Uma situação que a OMS não vê com bons olhos, atendendo o elevado risco de infecção”, acentuou a especialista.
O director de Comunicação Institucional do Instituto Superior do Kangonjo, José Ventura, disse que a instituição trabalha com o INS há três anos e, com esta iniciativa, pretende-se que boa parte dos estudantes sejam dadores voluntários, de modo a ajudar a quem, de facto, precisa do produto.