Sociedade

Ex-director do Visão recorre da condenação

O jornalista Caxala Neto, ex-director do semanário Visão, apresentou ontem, por via do seu advogado, Manuel Pinheiro, o requerimento de recurso da condenação ditada contra si na última segunda-feira, pela 4ª Secção da Sala de Crimes do Tribunal Provincial de Luanda.

O jornalista foi condenado a pena suspensa de três meses de prisão, 500 mil Kwanzas de indemnização e 74 mil de taxa de justiça pelos crimes de calúnia e difamação contra o brigadeiro Adérito Nicolau.
A decisão foi ditada por, em Julho de 2000, o jornal ter retomado, da imprensa nacional e internacional, factos relativos a uma manifestação de soldados e oficiais subalternos desmobilizados, que reivindicavam ainda os direitos junto das altas autoridades castrenses.
A matéria foi ilustrada com uma fotografia na qual figuravam vários cidadãos, entre eles o brigadeiro Adérito Nicolau ainda no activo, e sob o título: “Mamaram a massa dos soldados, vão à cadeia”.
Caxala Neto disse, ontem, ao jornal de Angola, que, apesar de o brigadeiro ter visto violado o seu direito de imagem pela ilustração da matéria, a publicação retratou-se em quatro edições seguidas: pediu desculpas e lhe concedeu o direito de resposta.
“Infelizmente, o general, aconselhado pelo seu advogado e por alguns jornalistas, instaurou o processo. No dia 21 de Novembro, fomos à primeira audiência e, a 9 deste mês, o tribunal decidiu condenar-me”, disse.
O jornalista terá de aguardar pela decisão do Tribunal Supremo, que reapreciará a decisão da primeira instância e, assim, confirmar, revogar ou agravar a decisão.