Sociedade

Familiares das vítimas negam a ajuda da direcção da TCUL

Familiares e amigos assistiram ontem, em Luanda, no cemitério do Benfica, ao funeral das duas vítimas do acidente de viação na Avenida Deolinda Rodrigues, ocorrido na segunda-feira, envolvendo um autocarro da TCUL.

As vítimas, Ana Maria dos Reis, de 43 anos, que ia ao volante, e Esperança dos Reis, de 44 anos, cunhadas, foram a enterrar num ambiente de dor e consternação, na presença dos ente- queridos, que se mostraram descontentes com a postura dos representantes da empresa TCUL. Sérgio dos Reis, sobrinho das vítimas, disse ao Jornal de Angola nada terem recebido da empresa e que todo o funeral foi realizado com ajuda e contribuição exclusiva da família das vítimas.
O sobrinho das malogradas informou que houve uma mediação entre a empresa TCUL e os familiares das sinistradas, não se tendo chegado a acordo, porque os familiares das vítimas se recusam a receber a quantia de 260 mil kwanzas entregue pelo chefe de Departamento do Gabinete Jurídico e Contencioso da TCUL, Humberto Xavier João, para custear todas as despesas do óbito.
Sérgio Reis disse que a família negou-se a receber o dinheiro por considerá-lo uma quantia irrisória, na medida em que nem sequer serve para comprar os caixões. A família, disse, considerou desumana a atitude dos representantes da TCUL. Contactado pelo Jornal de Angola, Humberto Xavier João negou categoricamente ter feito a entrega do valor acima referido, ter representado ou falado com a família em nome da TCUL.

Sobrevivente do acidente queixa-se de dores
Bernardo dos Reis, conhecido por “Nandinho”, é o sobrinho das vítimas que se encontrava na viatura acidentada, naquela trágica manhã de segunda-feira. Nandinho é órfão de mãe e estudante da 11ª classe. Ia a casa de uma prima, no Bairro Popular, gozar os últimos dias da pausa pedagógica e aproveitou para apanhar a boleia das tias, com quem vivia em casa da avó paterna.
Segundo familiares, ontem, dia do funeral, Nandinho acordou aflito e triste. Por esse motivo, não teve condições emocionais para assistir ao funeral.
O Jornal de Angola soube do tio de Nandinho, Sérgio Reis, que este recebeu alta do Hospital Américo Boavida, onde foi assistido, com a perna engessada. Queixa-se de dores no corpo e na região toráxica.
“Não consegue detalhar, ao pormenor, o acidente, lembrando apenas que o carro das tias saía de uma das ruas do bairro do Palanca e entrava para a via principal. Um taxista cedeu-lhes a passagem, tendo em seguida se dado o embate pelo autocarro. Nandinho acordou no hospital, com a notícia do falecimento das tias. O acidente de viação aconteceu na manhã de segunda-feira às 6h00. A condutora, Ana Maria dos Reis, era casada com o irmão da acompanhante, Esperança dos Reis, e deixa um filho de 20 anos. Já Esperança, de 44 anos, ia a uma consulta no Hospital Maria Pia e deixa 4 órfãos.