Sociedade

Igreja denuncia sequestro de seminaristas na Nigéria

A Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre) denunciou, ontem, o sequestro de quatro seminaristas católicos na Nigéria, ocorrido na quarta-feira.

Em comunicado divulgado ontem, a estrutura portuguesa da Fundação AIS dá conta de que "quatro seminaristas católicos foram sequestrados por um grupo armado que atacou o Seminário Maior do Bom Pastor, situado na localidade de Kakau, estado de Kaduna”.
“Estamos em estado de choque e tememos o pior”, disse o padre Kinsley, um dos responsáveis do seminário, citado na nota, adiantando que, “até ao momento”, não houve “qualquer contacto por parte dos sequestradores”.
Segundo a Fundação AIS, “há relatos de que os atacantes, que envergavam camuflados militares, chegaram a fazer disparos”.
O presidente internacional da Fundação AIS, Thomas Heine-Geldern, considerou que “a situação de segurança na Nigéria é catastrófica”. Disse que "gangues criminosos" aproveitam o clima reinante em algumas regiões do país para lançar ataques contra as populações civis.
Segundo o comunicado da fundação, Thomas Heine-Geldern exigiu do Governo da Nigéria a tomada de “medidas urgentes para proteger a vida e a propriedade das pessoas”.
O ataque ocorreu alguns dias depois do assassinato de uma dezena de cristãos por elementos de um grupo “associado ao Estado Islâmico no estado de Borno”, no norte da Nigéria.