Sociedade

Luanda acciona Plano de Contingência global

A Comissão Provincial de Protecção Civil de Luanda está a implementar, durante este período chuvoso, em alguns municípios, um Plano de auto Contingência global e específico.

O plano contempla limpezas das sarjetas, bacias de retenção, valas de drenagem, sucção de águas e recolha de resíduos sólidos, com realce para os municípios de Belas, Viana, Talatona e Luanda.
Em declarações à Angop, o porta-voz, Faustino Minguês, explicou que foram já limpas as sarjetas ao longo da Avenida Fidel de Castro, feita a recolha de resíduos sólidos arrastados pelas águas da chuva na Baía de Luanda e no canal do bairro das Salinas.
O porta-voz disse ainda haver necessidade de continuar com as acções de sensibilização e cadastramento das famílias que vivem em residências construídas nas linhas de água, bem como responsabilizar criminalmente as que insistem nesta prática.
Faustino Minguês disse ter havido redução de perdas humanas e prejuízos materiais, nas últimas chuvas, em relação aos anos anteriores, devido aos trabalhos feitos pelas comissões municipais, no que toca ao perfilamento das bacias de retenção das águas, desassoreamento das manilhas, linhas de passagem e zonas desobstruídas, permitindo o escoamento das águas.
Em Luanda, a chuva, este ano causou um morto e deixou 208 casas inundadas. Entretanto, o Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, reuniu-se na semana passada com responsáveis dos organismos que integram o Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT), órgão de consulta do Titular do Poder Executivo em matérias relativas à Viação e Ordenamento do Transito a nível nacional, para analisar os danos causados pelas chuvas no país, em particular as infra-estruturas com impacto na mobilidade rodoviária e ferroviária.
Na reunião participaram representantes dos departamentos ministeriais do Interior, da Administração do Território e Reforma do Estado, da Construção e Obras Públicas, dos Transportes e Finanças e o governador da província de Luanda, foi de carácter informativo.
No sábado, um dia depois da última chuva, o retrato de Luanda foi assustador, com os bairros inundados, ravinas, ruas intransitáveis.
Na Baia de Luanda, o cenário era desolador: grandes quantidades de lixo foram dar ao mar, incluindo animais mortos.