Sociedade

Luanda tem mais de 90 mil vagas para o ano lectivo 2020

Ao todo, 96 mil 135 vagas estão disponíveis, em Luanda, para o ensino geral no ano lectivo 2020, cujo processo de matrícula inicia quinta-feira até ao dia 22 destes mês, garantiu, hoje, em Luanda, a ministra da Educação, Ana Paula Elias.

Neste ano lectivo, Luanda ganha, igualmente, 21 novas escolas, oito das quais prontas para o funcionamento, num total de 332 salas de aulas nas centralidades do Zango 5, Sequele, Maye Maye, município de Luanda e KK5000, que associam-se às 773 escolas anteriores.

A ministra, que falava à margem de uma visita que efectuou à Direcção Provincial de Educação, reconheceu ainda que estas infra-estruturas não serem suficientes, o que representa uma das maiores preocupações do Executivo.
Segundo a governante, o processo de inscrições e matrículas está em andamento, apesar de alguns constrangimentos, que ficaram ultrapassados com a sua extensão por mais dois dias.
Relativamente a visita, a ministra disse ter encontrado um cenário que já se pode considerar satisfatório e positivo para o início do ano lectivo, com arranque previsto para cinco de Fevereiro e que contará com 30 mil professores.

Inscrições terminaram ontem

Entretanto, o processo das inscrições para o ensino geral encerrou, hoje, em todo país. No último dia, por exemplo, na escola Mutu-ya-Kevela, o Jornal de Angola constatou uma redução nas inscrições. Estavam disponíveis 200 vagas e, segundo a directora geral da instituição, o processo de inscrição decorreu com normalidade.
Edno Pinto concorreu a uma das vagas naquela instituição e só se inscreveu tarde devido ao atraso na recepção do certificado de habilitações na escola onde frequentou a 9ª classe.
“Felizmente, fui a tempo de receber o meu certificado que havia solicitado em Dezembro de 2019. Estou agora ansioso para estudar na nova escola, embora tenha vindo no último dia das inscrições. Pensei que fosse encontrar enchente, mas, felizmente, não”, disse satisfeito.
Tal como Edno Pinto, Elizeth Videira também só apareceu no último dia. Em acompanhada da mãe, tendo deixado o magistério Mutu-ya-Kevela feliz por ter chegado a tempo para se inscrever.
“Estava preocupada, porque até segunda-feira ainda não tinha em mão o certificado da menina, mas quando menos esperávamos, conseguimos fazer a inscrição. Resta-nos agora esperar pelo momento da matrícula”, disse a mãe de Elizeth.
No Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL) o cenário não era diferente. Até ontem registou-se, igualmente, uma fraca adesão. Nos corredores da instituição, alguns pais e encarregados de educação afluíam à secretaria-geral da escola para os últimos acertos.
“Fiz a inscrição das minhas duas filhas na semana passada e pensei que hoje fosse encontrar as listas publicadas, porque desconhecia que tinha sido prorrogado o prazo das inscrições”, disse.
No país, existem actualmente 18.297 escolas e 97.459 salas em funcionamento. Dados indicam que o sector necessita de 6.371 escolas, tendo em conta o número de alunos fora do sistema de ensino, estimado em um milhão, 302 mil e 760.
O sector da Educação necessita também de 40 mil novos professores para se juntarem aos 181.624 mil existentes actualmente. O ministério prevê distribuir 37 milhões, 785 mil e 537 manuais do ensino primário em todo o território nacional.