Sociedade

Rádio 2000 desmente fim da ligação a colaborador

O director da Rádio 2000, José Manuel Rodrigues, desmentiu, ontem, as informações segundo as quais o colaborador e apresentador António Francisco Manuel foi desvinculado da estação.

José Manuel Rodrigues explicou, ao Jornal de Angola, que “houve uma certa precipitação, quer da parte de António Francisco Manuel, mais conhecido por Tony Fancy, quer de algumas pessoas, que divulgaram inverdades que lesam o bom nome da estação emissora.
Tony Fancy deslocou-se a Luanda para participar na entrevista colectiva concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, na passada segunda-feira. De acordo com o apresentador, em entrevista ao Jornal de Angola, de regresso ao Lubango, confrontou-se com a situação de despedimento, o que, entretanto, merece o desmentido do director da Rádio 2000.
“Dirigimos uma rádio com mais de 25 anos de existência e temos a consciência de que não se despede um quadro por meras palavras, sem que haja um processo disciplinar, previamente, constituído, com a observância dos trâmites legais e com um desfecho”, disse.
O responsável esclareceu que, após a sua chegada ao Lubango, saído de Luanda, onde participou na entrevista colectiva com o Presidente da República, o apresentador “foi recebido como qualquer quadro ligado a casa. Porém, ao se dirigir ao gabinete do director, manifestou certa arrogância”. José Manuel Rodrigues fez saber que a direcção da Rádio 2000 sente-se lesada, porque o apresentador apareceu em público a manifestar-se em nome da estação, na entrevista colectiva presidencial, quando a solicitação de deslocação que apresentou não teve parecer favorável, por causa dos compromissos profissionais locais.
 “Assim que o nosso colaborador nos dirigiu o pedido de dispensa, para ir a Luanda, por meios próprios, vimos que deixaria um vazio acentuado no programa que apresentava e optámos por não dar parecer favorável”, disse, exibindo a carta entregue por Tony Fancy, a solicitar permissão parar viajar à capital.
 O responsável acrescentou que, à luz da ocorrência, o Conselho de Direcção da emissora reuniu-se ontem, para, entre outras questões, analisar o facto de o apresentador ter ignorado o despacho, aparecendo, depois, em público, em nome da rádio, sem autorização.
 Segundo o director, o Conselho de Direcção decidiu instaurar um processo disciplinar contra o apresentador e colaborar, que vai correr os trâmites legais, de acordo com a Lei Geral do Trabalho, ouvindo todas as partes.
 “Até o processo seguir o curso normal, o António Francisco Manuel vai continuar connosco, cumprindo com as suas responsabilidades”, rematou.