Sociedade

Viana lidera em termos de atropelamentos

O município de Viana, província de Luanda, regista, em média diária, dois a quatro atropelamentos, estatística que o coloca entre os de todo o país com o maior número de acidentes desta natureza.

A informação foi avançada, na sexta-feira, pelo chefe da Polícia de Trânsito do município de Viana, quando orientava uma palestra com o tema “O policiamento de proximidade e a participação do munícipe na garantia da segurança pública”, realizada na Casa da Juventude.

Na palestra, realizada para saudar o 54º aniversário do município de Viana, assinalado sexta-feira, o inspector Garcia Baptista informou que dos 162 acidentes de viação registados entre Janeiro e a primeira quinzena de Dezembro, 72 são atropelamentos, todos mortais.
Entre os 162 acidentes de viação estão também 23 colisões entre viaturas e motorizadas, que causaram a morte a 14 pessoas, adiantou o inspector Garcia Baptista, que disse estarem na origem dos acidentes a imprudência de automobilistas, incumprimento das regras de trânsito, ultrapassagem irregular, manobras perigosas, condução sob efeito de álcool e a falta de precaução por parte de peões, sobretudo, os que correm risco de vida, quando atravessam a via em áreas com pedonais.
No mesmo período do ano passado, segundo o inspector, foram registados 161 acidentes de viação, dos quais 94 atropelamentos, com 65 mortos, e 18 colisões entre motociclos, com cinco vítimas.
A palestra, na qual participaram membros de associações juvenis e de taxistas da província de Luanda, serviu para alertar os jovens para a necessidade de redução do número de acidentes de viação, por via de uma condução mais defensiva.

Mais policiamento 
O comandante da 44ª Esquadra do Distrito Urbano da Estalagem, intendente Carlos Neto, que participou na palestra em representação do comandante municipal, disse ao Jornal de Angola que tem havido uma fraca participação dos munícipes nos encontros de concertação comunitária, realizados com a finalidade de a Polícia Nacional auscultar os problemas das comunidades e encontrar uma “solução conjunta e pontual”, no âmbito do programa de segurança comunitária.
“Os encontros comunitários são realizados com o objectivo de colher informações que vão auxiliar-nos no conhecimento de indivíduos ou locais em que ocorrem eventualmente crimes”, acentuou o intendente Carlos Neto.
O comandante da 44ª Esquadra do Distrito Urbano da Estalagem frisou que, ainda no âmbito do programa de policiamento comunitário, tem havido “contacto directo e oportuno”, com as equipas de proximidade a irem ao encontro dos cidadãos nas suas moradias.